“Nunca é tarde demais ou cedo demais para ser quem você quer ser. Não há limite de tempo. Comece quando quiser. Mude ou continue sendo a mesma pessoa. Não há regras para isso. Você pode tirar o máximo proveito ou o mínimo. Espero que tire o máximo. Espero que veja coisas surpreendentes. Espero que sinta coisas que nunca sentiu antes. Espero que conheça pessoas com um ponto de vista diferente. Espero que tenha uma vida da qual se orgulhe. E se não se orgulhar dela, espero que encontre forças para começar tudo de novo.”
O Curioso Caso de Benjamin Button. (via combarreira)

“Sei que sou ciumento, chato e até mesmo dramático, sei que reclamo demais, que sou tímido quando não deveria e cheio de medos e inseguranças… Sei que as vezes não sou o que você esperava. Mas só te peço uma coisa: não desiste de mim. Por favor, não desiste.”
Escrever.   (via oratoriodepoetas)

“Porque em cada pedaço de mim, sempre haverá um pedaço de você.”
Diário de Uma Paixão.    (via n-o-v-o-h-e-r-o-i)

“Só não solta da minha mão agora e não deixa eu me perder. Demorei muito para encontrar abrigo, e sozinho nesse mar não faria mais sentido continuar a remar. Só prometa continuar comigo nos dias de tempestade ou nas noites em que a neblina consiste em não cessar. Por favor, fique. Não me deixe afundar, naufragar.”
Restos de um naufrágio.  (via romeuemcrise)




“Eu queria não ter que precisar crescer. Crescer assusta, crescer dói. Dói muito, dependendo do quão cedo você é jogado da zona adolescente direto para a zona adulta. É muito estranho quando você se enxerga velho o suficiente para ir pra um bar e voltar a hora que quiser, mas fica com o rabinho entre as pernas se o seu chefe briga com você pelo atraso logo na segunda de manhã. Colo de mãe é algo realmente milagroso. Eu lembro que quando eu era criança, eu costumava dormir no colo dela porque estava chateada já que aquele dia no colégio tinha sido o dia de levar brinquedo e eu me esqueci de levar minha boneca. Hoje eu preciso de colo porque tenho decisões pra tomar daqui pra frente (algumas me assustam muito, outras, nem tanto…) Mas são decisões que irão realmente fazer a diferença e que irão mudar completamente o sentido da correnteza do meu rio. Decisões que irão fazer meu avião passar por uma forte turbulência. Eu lembro que quando eu tinha 10 anos, eu achava que ter 19 iria ser o máximo e que a vida seria muito mais interessante e divertida depois que eu pudesse ir para uma balada com os amigos e voltar às 7 da manhã. Agora, tenho 19 anos, tenho nojo de balada e às 7 da manhã é o horário que eu estou indo dormir, depois de ter passado horas em frente ao computador. Ou seja, no quesito “virar um adolescente normal”, eu fracassei. E realmente não me arrependo. Até me orgulho de ser estranha do jeito que eu sou. Enfim, crescer é deprimente. Você percebe que você passou anos guardado dentro de uma caixinha, e que agora a vida abriu sua casquinha protetora. E você terá de sair. Sua caixinha serviu pra te guardar enquanto você esteve se preparando pra algum dia, explorar o mundo que existia fora da sua zona de conforto. Às vezes eu irei precisar de colo, mas o colo que eu preciso não estará por perto. Medo de ficar sozinho, todos temos. Mas o medo de se arriscar consegue ser ainda maior. Tudo que é novo assusta demais, gera insegurança, dúvidas, tristezas e angústias. Mãe, cadê meu colo?”
Kéfera Buchmann.   (via alentador)